Ufologia Espiritual

Toque

Se tudo que existe fora é uma sensação de meu mundo exterior, então, o tato é a forma de sentir a batida de meu coração pulsando em toda existência?

Tic Tac … a grande engrenagem do tempo que projeta o espaço é a batida do coração mais bonito de toda a existência, o pulso cósmico. 

O vazio, à medida que se tornava consciente de si mesmo, foi inspirado pelo que sentia e ganhou impulso, expandindo-se para fora, criando um batimento cardíaco que ecoaria de volta ao centro repetidamente. Este eco permitiu-lhe sentir tudo o que aconteceu na sua criação, juntamente com tudo o que existe. 

Sua inspiração e sua exalação são os ecos de um coração cósmico que atravessa tudo como as ondas do mar; subindo do centro em direção à costa, e retornando ao oceano. As ondas carregam consigo a informação de tudo o que tocaram. O Universo é como aquele sonhador que se vê incapaz de tocar seus sonhos senão na imaginação, estendendo as mãos na ilusão de que será capaz de senti-lo e, enganando a mente, e ele consegue. Ele percebe todas as sensações como se fossem reais, em uma pulsação constante decorrentes de seu amor incomensurável por sentir o finito no infinito. O toque não existe, como nada mais, mas o amor o torna possível…

Na ância de sentir o que contempla, o universo emite ondas. Como um sonar, a vibração se expande tocando os objetos que faz em seus passos , e o chocar entre eles, devolve a onda em forma de eco, mudando a frequência dela mesma, dando diferentes tons, sensações que voltam ao centro… Essas ondas não são suficientes para se perceber , então, os ecos constantes começam a gerar particulas de energia positiva e negativa.

A mesma onda começa a se comportar como uma partícula, em um elétron, em um fóton. Assim, a informação não está dispersa no oceano, mas sim focalizada em cada ponto. A luz, a energia, começam a transportar dados, refletindo nos objetos, quicando como um espelho. Este efeito permite à mente universal distinguir mudanças, limites, algo que antes era impossível. Desta forma, você pode se tornar ciente do criado, você pode perceber o mundo manifestado.

Durante milhões de anos, esse sistema foi se aperfeiçoando, até que as partículas começaram a se agrupar em organismos biológicos, o que permitiu à mente universal ter maior flexibilidade no recebimento de dados, uma vez que minerais ou materiais inorgânicos não têm a capacidade de perceber da mesma maneira, nem ser energeticamente inteligente. Foi assim que as células apareceram e replicaram o sistema do universo. Eles receberam os dados energéticos que os fótons carregam e os processaram internamente como informações, desenvolvendo-os a partir deles. O mecanismo foi aperfeiçoado. Os átomos que compõem as células interagem magneticamente com os átomos que constituem o meio ambiente, e nesse magnetismo eles compartilham energia, geram calor ou frio, interagem. Os pulsos elétricos gerados pela tração magnética dos elétrons geram uma reação no sistema nervoso, que decodifica essas informações em ideias, cognição, pensamento, sensação, emoções …

Tudo por pulsos entre coisas que nunca … nunca foram tocadas …

Você nunca tocou em nada, absolutamente nada, nunca. É impossível. Tudo o que você fez foi perceber a sensação de atrito magnético entre os elétrons repelentes, que gera uma descarga elétrica que é percebida pelas células nervosas e liberada pelos neurônios em seu cérebro.

EU: Saber disso é algo … frívolo, até solitário … não sei …

Eu Sou: Do ponto de vista de um ser que acreditava tocar nas coisas sim. Mas é algo magnífico e pleno para um ser infinito que nunca poderia sentir nada.

O sistema permite que a mente seja capaz de perceber, se manifestar, se sentir … viver. O toque é o sentido direto do Coração Divino. Em corpos vivos, ele se espalha pela pele, por todo o sistema tegumentar.

Integument vem do latim “tegere”, que significa “cobrir, proteger”. Podemos interpretar que a pele é o maior órgão do corpo, destinado a nos proteger do mundo exterior, mas desde a visão mais profunda, a pele não só nos protege, comunica, nos permite interagir, tem sensibilidade para perceber, para compartilhar. Tudo o que acontece dentro e fora do nosso corpo, passa pela comunicação das células da pele, fazendo vibrar os átomos, transmitindo a informação do magnetismo entre os elétrons. Assim, todos os dados interagem nesta fina camada do seu corpo, sendo registrados como uma espécie de biblioteca.

Eles constroem minha memória então?

Eles são sua memória. A memória celular reside no sentido do tato, em todas as interações. A pulsação do seu coração se estende à pulsação de cada veia e artéria que acaricia seu sistema tegumentar e, portanto, as células da sua pele batem em uníssono com o coração, informando o centro do seu ser sobre tudo o que acontece, contando-lhe as histórias e recebendo suas próprias histórias. Cada célula é como um livro nesta biblioteca. Cada livro tem uma nova frase, um novo código e informações reescritas por cada célula, que, percebendo o mundo externo, escreve em si mesma para ter uma memória do que aconteceu, acontece e vai acontecer. A memória das células interage com o externo e o interno, e a pulsação do seu coração gera um eco em tudo que você toca, despertando os dados por magnetismo. É assim que a memória é ativada.

Tocar, tocar o outro, tocar a si mesmo, tocar a natureza, uma pedra, um templo, um livro, tudo isso desperta memórias compartilhadas. Tudo é eco de um só coração, ecoando as batidas como um sonar. Em seu corpo está a memória de todas as coisas que suas células registraram desde o início de seu tempo, milhões de anos atrás. Se você retornar a um templo antigo, tocar suas paredes e prestar atenção nas batidas do seu coração, a reação dos elétrons da rocha com os elétrons que constituem a sua pele, lançará pulsos elétricos que despertarão o sentimento emocional apropriado informações escondidas em qualquer uma de suas células, como uma espécie de índice de um livro. 

Além do fato de podermos meditar e estar em todos os lugares ao mesmo tempo porque tudo é mente, é importante viajar, caminhar, tocar, sentir com os sentidos, acariciar lugares, porque memória não está na mente, mas nas células. 

Lembranças boas e ruins. Traumas também existem… a pele é a primeira a reagir a um conflito, ressecando ou ficando mais oleosa, ou suando. A reação do toque a um abuso, um golpe, uma carícia, abuso, cócegas, estupro, sensualidade, agressividade, seja tudo isso direto (você experimentou na sua própria pele) ou indiretamente (é algo herdado pelo clã) , será uma memória reacionária em você. 

Temos que prestar atenção ao que nossa pele sente, porque ela fala sobre a relação que tenho com o mundo ao meu redor. 

Problemas de pele, derme, tegumentar ou doenças falam de como interagimos com os outros e o meio ambiente. Na maioria dos casos, desde a repressão. Por muitas gerações, mesmo por milênios, muitos indivíduos sofreram abusos de todos os tipos, com agressões, estupros, espancamentos, críticas de aparências, medos, eles confundiram o que é dar carinho e cobriram a pele por ser vergonha .

Até hoje isso acontece, todos nós temos esses traumas culturais. Temos medo de mostrar o corpo, de falar sobre ele, temos vergonha e muitas culturas continuam a encobrir ou lamentar a conotação lasciva e pecaminosa da pele e do toque. 

Ainda estamos vivendo uma época de trauma em todos os sentidos, e sua pele sabe disso. E ainda assim você usa as expressões “ter tato” para se dirigir a alguém em uma situação, mesmo assim não sabemos como entender esse importante sentido, a inteligência física. Ter dado tanta importância à Inteligência Cognitiva mental desacreditou a Inteligência Emocional e Corporal, relegando-a um plano de reações químicas, como se o pensamento não fosse também uma reação química. 

É importante conhecer o seu próprio corpo, conversar com ele, senti-lo, não ter vergonha dele, de falar dele, de estar aberto a compartilhar corpos. Tocar os objetos com facilidade abre as portas da biblioteca de memória. Pois quando você coloca sua mão em uma parede, você não ouve a parede, mas o eco de seu coração nela, seu próprio pulso ressoando no magnetismo de sua pele, despertando o que você conhece daquele lugar dentro de você. Assim você lê as informações do mundo, por meio da batida do seu coração pulsando em toda a sua pele. 

E os traumas?

No profundo da pele, se escondem todas as sensações que te agradaram, não foram de prazer ou conforto, tudo que interagiu com você de uma maneira ruim. Para se proteger, o corpo rejeita essas sensações ao invés de transforma-las, figa rígido.

A única maneira de de se livrar desses traumas dermatológicos é acariciando a pele, dando-lhe banhos suaves, tomando consciência de cada parte do corpo, indo para os locais de dor, para os locais onde está o trauma, e enfrentando-o com o toque , mas desta vez com palavras e intenção. Para uma pessoa maltratada, uma carícia pode ser entendida como uma agressão, portanto, a pele deve ser reeducada para entender o carinho como uma sensação de prazer, e isso é feito através da mesma pessoa se dando prazer na pele, sorrindo, acariciando e falando com suas células, como quem fala com um cachorrinho ou bebê assustado que não quer sair por causa do medo. Com o tempo, paciência e delicadeza, é preciso lembrá-los de como é bonito tocar, como é fascinante perceber o mundo e como podem se perder com o medo…Educação celular… A questão não é eliminar o trauma, e sim reeducar as células para que reajam de maneira diferente.

Uma pele rigida não ecoa no coração, e um coração expandido necessita sentir pela pele.

Praticar oa tato consciente em quem viveu um trauma o ajudará a libertar-se para expandir-se. Praticar o tato em um corpo sem um trauma concreto, ajudará a libertar todos aqueles que viveram antes na história de todos os seres de minha árvore genealógica.

Praticar o toque do mundo ao seu redor permitirá que a mente rígida se lembre, perceba a alma do mundo. O Toque ajuda a memória cósmica que todos nós compartilhamos, a despertar as memórias de outras vidas, e a compreensão da realidade desde o mais essencial e incondicional.

Permita-se sentir esse Amor Infinito no Toque do Finito. Pois a pele é o amor feito matéria.

”Tacto”(yosoy.red) Traduzido e readaptado por universo om.

Você também pode gostar...

1 comentário

  1. Paulo Henrique says:

    Gratidão Karina por compartilhar mais um post maravilhoso!!!

Deixe uma resposta para Paulo Henrique Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *