Consciência Jornada do coração

Jornada do Coração : Leis Universais

Eu : Quando eu pesquiso por acontecimentos do passado, vejo que por toda historia tivemos pontos de luz e escuridão, destruições, revoluções, evoluções, descobertas, experiências de variados tipos que geraram construções, símbolos, crenças, religiões… Todos criaram juntos todo um sistema de sociedade. Por que?

Eu sou: Primeiro… O sistemas são coisas repetitivas baseadas em padrões que garantem a perpetuidade da vida. O cosmos cria sistemas afim de manter a ordem nos fractais. (”cosmos” significa ”ordem” )….Segundo… a Mente universal cria 3 niveis de realidade em sua ‘imaginação’ , a sagrada tríndade que organiza os mundos criados: o subconsciente, inconsciente e o consciente.

No subconsciente as criações são condicionadas por meio de suas liberdades; o inconsciente é aquele que nega os laços entre as criações, vive em padrões; o consciente é o que reconhece o mundo criado por elos, laços, mas não tenta escapar, ele lembra que não é limitado a essas coisas, lembra-se que é a aranha…

O começo foi a sobrevivência, guiada pelo cérebro reptiliano e subconsciente… Depois fomos a InconsciÊncia, na qual manifestamos todos os registros do nosso passado inconsciente e que seguimos projetando no mundo e nas pessoas, até que nos tornemos conscientes, de que somos todos esses padrões guiados por leis universais, para a Mente organizar e expandir a si mesma, a qual por correspondência, leva suas criações a criarem leis e padrões para também encontrar equilíbrio, para evoluir, crescer, expandir.

Eu: Toda existência tem origem na Mente, que para experimentar a si mesma, respirou para fora. A inspiração expira. A mente projeta o interno no externo, gerando um novo ponto de percepção, aquele que gera a primeira possibilidade de uma existência material.

Eu sou: Veja a segunda imagem abaixo : A mente original expirou para fora toda sua imaginação, criou o big bang, o momento onde a energia de contração expede seu limite, gerando para fora de sí mesmo todos os príncipios universais, os numeros ,a geometria, o som, a luz , as primeiras criações, os elementos químicos, os gases, , os quais juntos, no tempo e na gravidade, criam estrelas, sóis, as quais são os centros de planetas que giram em torno dos sóis, e esse giro forma as galaxyas, nas quais existem as vidas que evoluem a partir de sua experiência e cria um sentido de individualidade, descobre a sua mente- ego, a qual busca um sentido em sua existência, em sistemas , leis, vontades, luxuria, apegos, crenças, reiligões, estruturas; não sabendo que esse sentido já é o próprio, existir, viver, criar leis para organizar algo que é impossível .

Como assim?

Veja as leis universais: O todo é Mente. O universo é Mental.

Essa lei diz que todo universo é um estado de imaginação infinita que o universo criou para conhecer a si mesmo de diversos pontos de vista e que tudo é a mente. Ela é a única que existe.

Essa mente, para não se perder nesse jogo de livre arbítrio pela jornada de gerar a vida, projetou junto a ela 6 leis que começam a existir simultaneamente, interligadas e que agem em todos os níveis da realidade. Essas leis são a correspondência, a vibração, o ritmo, a causa e o efeito, a polaridade e a lei do genero, as quais permitem a ordem. Veja como nessa imagem estão todas interligadas para gerar um realidade manifestada em equilíbrio e expansão.

Do ponto de vista humano, seguir as leis universais é lembrar que voc~e é a mente, a qual vibra em diferentes ritmos , dançando pela polaridade e gerando por correspondencia a sua realidade. Como você vive a sua realidade? Vê ela de forma limitada ou ilimitada? Tem noção de que você é o criador ?

Cada ponto na rede é um Gen( de ”genero”, ”geração”), é uma ori’gem’, que repete a origem original de gerar as coisas para viver uma jornada de crescimento e expansão para chegar a origem de tudo que é Gerar sempre novos pontos em coerência, conhecer a sí mesmo…

Para se conectar as leis universais é preciso lembrar que é um gerador em constante evolução dentro de trilhoes de anos no universo.

Esse fato foi algo escondido da humanidade há muito tempo, mas que não impediu a criação de realidades.

Por que?

Há pelo menos 2.500 anos atrás, os humanos mergulharam em uma época de conflitos, onde as tribos (as familias em pequenos grupos) lutaram entre si. Esses conflitos constantes levou ao surgimento de impérios que buscavam a conquista de terras e comida.

Nesse espaço onde habitavam essas pessoas, realizavam-se ações, as quais eram julgadas como boas ou más em uma vida social…assim criou-se o conceito de ”moralidade”, a qual implementava a justiça em um consenso de regras que acalmasse os conceitos do que era ”certo” e ”errado” moralmente( como cruzar um sinal vermelho, invadir uma propriedade, roubar ) Lembra que assim como a Mente cria leis para não se perder, voc~e também as cria? Então… A partir desse conceito de moralidade surgiram as leis, porém, o problema não esta na lei propriamente dita, uma vez que sua origem vem da língua indo-europeia, que significa ”escolher”, o que por principio etimológico não é uma obrigação. O problema está no contexto em que as leis foram usadas, a partir de que tipo de consciência, e foi, por muitos , usada como uma forma de manipular e prender as pessoas numa sociedade mecânica e subconsciente.

Por causa desse contexto humano, as leis passaram a ter um peso cultural. Os políticos, imperadores, que escrevem as leis, faz com que a maioria delas representem as ideias desses poderosos e não das pessoas em geral. A leis deveriam ser ‘elegidas’ pelos povos, e o que fazemos culturalmente foi o contrário, nós escolhemos pessoas, as quais escolhem as leis com base em suas próprias necessidades.

A lei não existe para nos limitar, mas para lembrar que escolhemos como reagir a nossa realidade e para nos mostrar os limites entre as estratégias e armadilhas dentro do jogo da vida. A verdadeira lei, foi feita para transformar-se segundo um contexto evolutivo , não para ser fixa.

O que isso tem a ver com a criação de realidades que não foi impedida?

A criação é uma capacidade inata de todos os seres vivos, mas os humanos seguiram criando conflitos nessa época, porque estavam dominados pelo subconsciente, seu senso de sobrevivência, o qual está no emaranhado do inconsciente coletivo do mundo, moldando nossas ações que respondem ao mundo.

O que é esse inconsciente coletivo?

Veja bem… O universo é um jogo de livre arbitrio da Mente, que se dividiu em 3 níveis para vivenciar a experiência… Esses 3 níveis é o Subconsciente, o inconsciente e o Consciente. O assunto do qual estamos tratando fala sobre o subcosciente e inconsciente( mais sobre o consciente – continue a leitura), que são todas as informações herdadas por nossa família e também as informações herdadas de toda a rede de pessoas que viveram no passado.

Tudo o que fazemos e vivemos hoje é baseado nesses padrões que geraram estruturas (união de coisas diferentes) de pensamentos, crenças, hábitos , religiões, culturas… tudo para podermos sobreviver… O desafio de todos nós hoje é olhar para esse passado e fazer um ressignificação.

Por que?

Porque enquanto não fizermos isso, esse passado continuará moldando nossa forma de viver e não expandiremos… Veja as pessoas e o mundo em sociedade…muitos seguem esses padrões inconscientemente, igual agora também onde o ”pulmão ” do mundo está sendo cada dia mais destruído, a Terra em si…isso porque estamos destruindo o nosso corpo e pulmão de várias formas e acabamos por refletir isso no mundo ao nosso redor, e o reflexo é sempre mais caos e conflitos, pois estamos passando por caos e conflitos interiormente… Precisamos resolver isso e ver a mensagem desses conflitos.

O que é uma ressignificação?

Trazer para a luz do Consciente… Tenha em mente que os padrões e estruturas da sociedade foram necessários… mas chegou um momento que o mundo pede por uma mudança e aprendizado sobre essas estruturas, e a mudança sempre começa com um olhar novo diante do que aconteceu, em nós e no mundo ,e essa é a ressignificação…

Primeiro precisamos identificar : Quais são os meus padrões? Que tipo de estrutura estou seguindo? E então olhamos para toda essa estrutura que faz parte de nós e vemos o quanto ela foi necessária para estar aqui hoje, com seus pontos positivos e negativos… Depois transformamos, usando esses padrões para o aprendizado, para ver o que precisa melhorar e assim levar essa transformação para nossa vida.

O que esse assunto tem a ver com as leis universais?

Assim como as leis universais, os padrões e estruturas são guias para nós vivermos em harmonia.

A essência de tudo isso é a Mente que criou leis para guiar a si mesma na jornada da existência, para ela nunca esquecer que seu real objetivo não é alcançar a iluminação, e sim aprender, expandir, sempre em novos pontos enquanto se diverte vivendo em múltiplos.

Quando estamos perdidos, as leis são as que nos protege para que encontramos novamente nosso poder. E ter poder é ser responsável ( responder novamente), é lembrarmos que somos um organismo de feedback, que sempre absorve, processa e responde novas informações, causando a evolução e expansão… O universo não está oprimindo com suas leis, na verdade ele nos deu as leis e por meio delas aspira que cada um de nós encontre a responsabilidade de saber manejar as regras do jogo com liberdade.

Por que odiamos as leis e os sistemas?

Porque eles foram usados como formas de manipulação de massa e não para sua verdadeira utilidade, que é a organização e expansão constante.

Por causa dessas manipulações, de termos esquecido de nosso poder, os vemos como jaulas, mas o único problema está na forma como vemos e usamos e não nesses sistemas em si… Não é essa rede de sistema que nos controla, e sim nossa falta de poder próprio.

Por que perdemos o nosso poder?

Porque eliminamos nossa vontade, nossa capacidade de responder, a responsabilidade…

Por que eliminamos a vontade?

Porque ainda não conseguimos encontrar o equilíbrio no amor… e o caminho para ele não é nos impulsos da inconsciência… Quando perdemos nosso poder, perdemos o controle das emoções, o que nos leva a falta de energia para responder ao mundo… assim aderimos sistemas para nos sentirmos seguros, pois isso ordena nosso próprio caos.

Se queremos realmente mudar o sistema que vivemos, precisamos primeiro observar as escolhas(leis) que fazemos…. e só podemos escolher melhor a partir da coerência, e não da incoerência reacionária. Quando somos coerentes geramos o novo. A evolução.

“A única maneira de sair da Rede é nos tornando a Rede”.

Vivendo com subconsciente e inconsciente, somos como moscas presas em uma teia de aranha e quanto mais esforço fazemos para nos libertar dela, mais presos nos encontramos em laços de todos os tipos.

Agora, se você virar a aranha, se lembrar que sempre foi a aranha, você terá oportunidade de caminhar na teia, de tece-la. Será capaz de recordar (levar ao coração) que é a supraconsciência, a sagrada tríndade unida, trabalhando juntas para ordenar um universo criado, para não se perder em sua própria criação, para sempre lembrar quem é.

O propósito não é destruir as leis, padrões e sistemas, mas sim aprender novas formas de usa-las, de expandi-las.

O subconsciente é necessário para ativar nosso sentido de sobrevivência, do que é perigoso para perpetuidade do corpo enquanto vive. O desequilíbrio esta em se entregar a esse sentido, o que leva a viver com muito medo, busca por segurança externa, conflitos. A chave está na coragem de viver com o coração como um ser criador conectado a uma rede de criadores dentro da criação. Seu medo, suas inseguranças e conflitos são sobre você mesmo, o mundo é só um reflexo. Busque a unidade e aprendizado.

O inconsciente é necessário com seus laços e padrões, nos leva a a fazer as coisas com base em uma coletividade que se sinta bem , te leva a fazer parte de algo. O desequilíbrio esta quando negamos esses laços e padrões, quando nos desconectamos da rede, ou quando nos tornamos dependentes desses laços, não dando espaço ao processo de transcendência e expansão, assim vivendo submersos em condicionamentos. A chave está em reconhecimento, reconexão, transformação e transcendência.

O consciente é aquele que se move pelas perguntas, esta sempre buscando o novo, reconhece a rede conectada e sua capacidade criativa. O desequilíbrio está quando focamos só nos processos externos das coisas (consciente), quando vivemos no automático. Sua chave está na meditação, na contemplação, na transformação e na busca por crescimento.

Eu: Então todo sistemas que existem em sociedade são só as manifestações de sistemas que existem em arquetipos muito antes da criação… os sistemas do cosmos( 7 leis, as tríndades, a geometria) da qual surgem os sistemas galaticos, sistemas solares, sistemas inorgânicos , sistemas orgânicos, sistemas biológicos, sistemas ecológicos, sistemas espirituais, sistemas sociais, etc…

Eu Sou: Sim. Os sistemas e as leis são a forma da Mente ordenar a si mesmo dentro da criação, como ferramentas que vão permitir experimentar e transformar-se enquanto vive a jornada do Infinito.

Todos somos um sistema e em nossa evolução geramos sempre novos pontos de visão.

Eu: Parece que a sociedade esta estruturada de forma errada, mas o que é errado? Nada pode ser errado se tudo acontece de acordo com a lei… precisávamos passar por todos os estágios como humanidade para podermos evoluir e crescer, para relembrar que somos seres em constante expansão…

Eu sou: Assim como você passa por diferentes tipos de situações que se repetem até que voc~e perceba que chegou o momento de transformação, o cosmos passa por diferentes constelações, eras, estrelas… para aprender com seu próprio caos intricado de ordem…

Eu: O que é o caos, o ponto de crise?

Eu Sou: ‘caos’ do latim ”chaos” ( abismo ) e ‘crise’ do grego ‘krinein’ ( dividir, separar) A crise se refere ao ato de cortar com algo anterior. Cada crise é uma oportunidade de recomeçar do zero, rever o caminho e iniciar um novo, é o momento de ver o abismo que construimos e juntar novamente, mas essas crises não seriam necessárias se a humanidade se permitisse as transformações pelo caminho.

As pessoas sempre estão pedindo por mudanças, mudanças sociais, mudanças na religião, mudanças na cultura ou na vida pessoal, mudança no seu corpo e no corpo da terra…mas muitas não estão realmente dispostas a mudar. Para mudar é preciso que isso comece em você, modificando sua forma de pensar, de se relacionar consigo e com os outros, modificando seus habitos…Por conveniência, ninguém quer fazer uma transformação. As células se apegam ao que podem, ao que possuem e produzem, como forma de garantir a sobrevivência,e portanto, o excesso de energia se acumula na forma de lipídios, para não se descartar nada. Se eu continuar acumulando sem transformar minha dieta, mais cedo ou mais tarde esses lipídios irão para a corrente sanguínea gerando colesterol e entupindo as veias, causando um infarto, que chamamos de “mudança”. Crises são mudanças, são giros de 180 graus que nos colocam no outro extremo para que encerremos esse ciclo e comecemos outro mais coerente com nossa expansão.

Precisamos assumir a responsabilidade diariamente por aquilo que emitimos, precisamos estar atentos a cada passo do caminho, para que enxerguemos os momentos de transformação e não sejamos pegos no último momento pela ‘crise’.

Eu: parece que a sociedade tem passado por muitas crises…

Eu Sou: exatamente, porque os humanos que compõem a sociedade ainda não aprenderam a fluir com as mudanças. As pessoas tem andado correndo na estrada, sem contemplar o caminho, sem prestar atenção aos chamados a transformação, até que elas caem e são obrigadas a olhar para onde estão, a parar.

“A Crise é como a Morte: ela marca o fim inevitável de algo para o início inegável de um novo caminho. A morte não pode ser evitada, mas você pode evitar que aconteça em qualquer canto se tomar os devidos cuidados: preste atenção, coma melhor, escute, saiba discernir, seja cauteloso, vá passo a passo. Assim você viverá muito mais tempo, e o que antes eram crises, se tornarão saltos evolutivos. Mas se você não pode evitá-los, tire vantagem deles. ” (M. S)

Eu: Por que disse ”caos intricado de ordem”?

Eu sou : porque aquilo que voc~e vê como um caos, é só uma forma de balançar o tapete para que a sujeira seja vista e limpa, permitindo a volta da ordem e por fim, o objetivo primordial: expandir-se.

Como eu posso fazer para expandir-me?

Lembre-se que você é a expansão constante e que a cada nova experiência do seu dia-a-dia o seu espirito, a sua alma e o seu corpo estão buscando por expansões, crescimentos, fluidez, novas perspectivas… Lembre-se que tudo que existe no universo são tecidos replicados de vibrações e frequências que são interpretadas como espaços e tempos, que por distorção e baixa vibração formam nós rígidos e fechados, contraídos sobre si próprios, e quando aumentamos a vibração, eles se expandem e podem ser moldados. Quer dizer, essa é a chave com a qual nos pedem: aumentar a frequência, vibrar mais alto, trabalhar a nossa história, isto é … vai além dos conceitos espirituais, é sistêmica, é quase eletricista. Porque quanto mais elevamos nossa vibração, mais os nós do tecido do nosso ser, o que tecemos à existência do físico, do emocional e do mental, estão relaxados, para que possamos começar a ver claramente nossa história, laços, vidas passadas , estruturas… Identificando e ressignificando esses conceitos, somos convidados a sair da visão fechada e reducionista, expandimos para que os nós se desfaçam, liberem informações e permita que novas informações entre.

“A consciência é como o Sol que modifica e produz mutações no DNA do Ser, na Alma, fazendo com que o que antes era um padrão de sobrevivência se tornasse uma ferramenta de transcendência. Quanto mais flexível se torna a abertura da Consciência, mais flexível é o Inconsciente e, posteriormente, o tecido do Subconsciente, libertando-o da pressão contraída de seus nós de tempo-espaço, que revelam os conflitos e suas origens, sanando os elos, as conexões adequadamente entre os diferentes seres aos quais você está ligado. Nessa prática, a conexão, a Rede, torna-se flexível em você, e isso, em uma grande rede de pensamento coletivo, torna flexível a emoção, que é a água que rega os nós espaço-tempo da Terra. E assim, as sementes da Nova Humanidade podem ser regadas pelos novos ares que chegarão à Terra. ” ( M.S)

É por isso que esse post fala sobre tudo isso intricado nas leis universais, porque iniciamos um momento de reconexão, de lembrar-mos que nós somos as leis, nós fazemos a escolha de transformar junto a dança de transformação do cosmos, escupindo-se a fim de transformamos a nós mesmos e a estrutura do mundo que vivemos.

Eu sou: Lembre-se que voc~e é livre para mudar sua vibração e usar as leis a seu favor, conectado a rede universal… Lembre-se que a coerência se encontra no amor, no coração que reconhece a unidade de todas coisas. Reconheça que seu objetivo é criativo, Vibre na sua verdade. Se adapte aos ritmos da existência, entenda-os. Seja consistente em suas ações. Viva em eixos. Manifeste seu potencial interior. Não seja controlado, não queira controlar padrôes, observe-os, aprenda com eles, transforme-os. Utilize para cria sua própria realidade. Use as leis para viver em harmonia, crescimento.

As leis não foram feitas para serem seguidas, muito menos quebradas. Elas foram feitas para nos guiar e o controle só reinou porque voc~e esqueceu sua responsabilidade na existência. Recupere seu poder. As leis são os padrões de Deus, seja como ele e estabelecerá suas próprias leis.

Aqui termino a vossa jornada do coração, que no ínicio eu havia canalizado como uma forma de mostrar as potencialidades do coração, o amor é a chave para despertar o corpo de luz(merkaba) mas, ao longo do caminho, descobri que é importante sim vibrar em suas potencialidades, mas ele me lembrou ” eu sou a batida do tambor’. Vibrar no coração e lembrar que somos o cosmos que ta sempre pulsando, assim como o coração… uma grande inspiração que expirou e que segue batendo a cada novo dia, a cada hora, na atemporalidade e na temporalidade para conhecer sempre novos pontos sobre sí mesmo nessa grande rede que criou, me lembrou ‘ são todos espelhos para voc~e contemplar a sí mesmo, não existem outros”… A jornada do coração cósmico é infinita e ja é iluminada. Já somos o corpo de luz que espera nossa consciência para ser ativado. Só precisamos lembrar que não somos apenas os nós da rede, somos a aranha que tece…Expandindo, liberamos os nós, expandimos e criamos sempre novas realidades, lembramos que somos a luz e as sombras, somos o Nada, o gen, gerador e criador de tudo.

Eu sou o caminhante eterno. Eu sou o caminho. Eu sou as paisagens do caminho. Eu sou o Eixo que transita por diferentes realidades para transformar-se sempre, para nunca cessar, para viver a sagrada jornada da batida do tambor cósmico… Eu sou o Todo, Eu sou o nada. Eu sou o começo, Eu sou o fim. Eu Sou alpha, Eu sou ômega. Eu sou as leis. Eu sou os sistemas. Eu sou a religião. Todos são minha família. Todos sou eu mesmo. Todos Eu Sou.

Gratidão…

Você também pode gostar...

1 comentário

  1. Paulo Henrique says:

    Gratidão Pela Jornada!!!! 💜💛❤💓

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *