Consciência Geometria Sagrada Meditação

Morte e Vida

Infinita é a Montanha da Luz.

Cada passo que dá, mais aumenta a Montanha;

senão que com todo seu progresso, o objetivo se prolonga.

Aproxima-te sempre da Sabedoria Infinita, sempre ante ti retrocede a meta.

( Hermes Trimegistus )

Gostaria de falar sobre a energia da Morte e da Vida, pois nunca foi me mostrado tão claro a real vivência dessas energias.

Em determinado momento tive que mudar de cidade novamente e nessa estava até ontem sem internet, então aproveitei para aceitar e acolher essa situação como um chamado a fazer um jejum – me permiti sentir o vazio.

Como muitos já sabem, minha missão aqui é compartilhar da chave da sabedoria – e durante esse tempo o mer-ka-ba me abriu canais de percepção incriveis, indizivéis que eu recomendaria a todos como uma integração com aquilo que somos verdadeiramente e uma grande visão sobre a importância da Morte dentro da Vida.

Essa frase de Hermes Trimegistus, está nas Tábuas de Esmeraldas( a qual terá um post especial), na qual tive a oportunidade de iniciar a leitura.

Essa é a Verdade que vos libertará.

Somos uma Esfera, dentro de, e entre, várias esferas- sem começo nem fim – vivendo na Causa Eterna de todos os Efeitos.

Quanto mais alcançamos a Sabedoria, mais ela se expande se tornando novas verdades dentro da Vida.

É Morrendo que se vive na Vida Eterna – é morrendo que se vive no Ventre de criações e destruições – no Infinito pulsante que vem da Fonte do Todo.

A visão do Eu Superior é Esférica e a transição energética planetária logo conectará a todos nessa Energia – que consegue ver todos os ângulos, que se permite participar das Mudanças, conhecer a sí mesmo no Todo, se permitir ir a Caverna Escura e descobrir que lá também habita a Luz.

Foi nas situações mais desafiadoras que aprendi a morrer – tive que desenvolver a adaptabilidade e relembrei que Sou o Eu Sou nesse tempo do Ego, vivendo por eras nas galerias de Amenti – o processo reencarnacional.

Expressando o Eu e o Eu Sou de distintas formas- por vezes sendo aprisionado pelo sentido do Eu e com a Disciplina, a Morte, o Amor , Atenção e o Silêncio, permitindo libertar-me de suas correntes.

O Eu não deve ser destruído, deve ser dissolvido em sua Fonte – que o transformará na mais única e bela expressão.

A mudança, os ciclos, são a dissolução do Todo morrendo dentro da Vida – sempre buscando aprender mais sobre sí mesmo.

Criando sempre Egos que se desenvolvem a partir da Vida. Criando e Destruindo, nos ensinando a não se apegar, a não se identificar, a sentir e viver novos pontos, novas esferas de Luz e Escuridão – de Morte e Vida.

Tudo que existe na Vida são só formas daquilo que não existe.

A existência surge da não existência criando a Geometria Sagrada- o milagre da Criação , a Vida.

A Consciência Una cria em sua meditação estados múltiplos de consciência – saindo da Escuridão á Luz – indo da Luz á Escuridão.

Mas lembre-se, tudo é o Uno que ilumina, o Todo transita pelo caminho da Luz, vendo-se necessário também estar na Escuridão. Somente através da Unidade os caminhos serão abertos. Somente morrendo que se Vive para a Vida Eterna, somente o Amor e a sabedoria do dual abre o portal para o equilíbrio dos movimentos – que nos leva para além do tempo-espaço.

Saibas que o portal para a vida é através da morte.
Sim, pela morte mas não como entendes por morte,
mas uma morte que é vida e é fogo e é Luz.
Desejas saber o segredo profundo, escondido?
Olha em teu coração onde o conhecimento está lançado.
Saibas que em ti o segredo está escondido,
a fonte de toda a vida e a fonte de toda a morte[…]

Quando tiveres aprendido a manter teu próprio equilíbrio,

então atrairás o equilíbrio da Terra.”

(Hermes trimegistrus)

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *